Você pode não saber, mas alguns problemas na sua instalação podem ocorrer devido não ter feito uma correção de fator de potência. Sobrecargas, quedas de tensão e perdas são alguns exemplos.

Calcular o fator de potência e corrigir são duas etapas fundamentais da gestão e eficiência energética. A manutenção do fator de potência, o mais próximo de 1, é normatizada pela legislação brasileira por decretos. Esses decretos determinam a maneira de avaliação e o método de faturamento da energia que excede os novos limites.

Correção do fator de potencia

Mas o que é correção de fator de potência?

Primeiramente precisamos entender o que é um fator de potência. Também conhecida como FP, o fator de potência é um nº entre 0 e 1 e mede a eficiência do consumo de energia elétrica de um circuito ou equipamento. O fator de potência padrão é 1, ou seja, quanto mais baixo esse número for, menor a eficiência do circuito ou equipamento e quanto mais perto de 1 for, maior a eficiência do circuito e consequentemente, melhor rendimento.

A correção do fator de potência busca deixar a rede elétrica muito mais eficiente através da instalação de bancos de capacitores. O objetivo dos bancos é “anular” as curvas de tensão e corrente de carga.

Por que o fator de potência fica baixo?

Muitas são as possíveis causas para um fator de potência baixo (lembrando que o ideal é estar o mais próximo de 1), tais como: motores trabalhando sem carga, fornos de indução, motores superdimensionados, reatores com fatores de potência baixos, transformadores que trabalham com carga abaixo da máxima estabelecida e outros. O mais importante é que os profissionais responsáveis fiquem atentos a essa medição para evitar problemas futuros.

Mas por que é tão importante corrigir o fator de potência de uma instalação?

Além da manutenção ser obrigatória por lei, a correção do fator de potência é importante para evitar alguns problemas como: quedas de tensão, subutilização da capacidade, perdas na instalação, sobrecargas e cobranças extras.

Com o conhecimento que uma carga CAPACITIVA adianta a corrente e uma INDUTIVA adianta a tensão, buscamos juntar as duas para obter um fator de potência o melhor possível, ou o mais próximo a 1, com a interligação de capacitores (ou bancos de vários capacitores para cargas maiores) simultâneo com nossas cargas indutivas. A capacitância necessária é consequência do quanto defasada está essa corrente, e precisa ser calculada por um especialista.

Então se você possui uma indústria ou empresa, que utiliza muitos motores pesados, até mesmo elevadores, precisa se atentar para a correção do fator de potência. Em sua fatura mensal de energia elétrica, pode vir cobrando valores excedentes devido potência reativa. Se isso estiver acontecendo, orientamos a instalação de banco de capacitores com o objetivo de corrigir esse fator de potência e consequentemente evitar cobranças extras.

Eficiência energética é o nosso objetivo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA