analise tarifaria

Descubra tudo sobre como reduzir os gastos de energia da sua empresa!

Quem possui uma empresa ou estabelecimento comercial sabe como às vezes é inevitável pensar em cortar custos, principalmente quando diz respeito ao consumo de energia elétrica.

O primeiro pensamento é sempre desligar luzes, máquinas operacionais e tudo mais que puder ser cortado dentro e fora do horário de funcionamento, não é? Este pode ser um grande engano!

É possível diminuir os custos de energia sem a necessidade de tirar nada da tomada. A análise tarifária proporciona um outro olhar para a forma de consumo e pode ser a solução que você precisava.

Mas afinal, o que é a análise tarifária?

Análise tarifária é a análise dos padrões de tarifa praticados regularmente a fim de descobrir se é possível modificar para uma estrutura mais conveniente e econômica.

Em outras palavras, um profissional capacitado analisa as faturas de energia elétrica e sugere adequações com a empresa distribuidora de energia.

Os aspectos dessa análise contam com a consideração dos horários de ponta e fora de ponta (os padrões de consumo durante cada período), a modalidade e o grupo tarifário.

Horários

Com demandas distintas ao longo do dia, é levado em consideração o consumo durante os horários de pico, como o horário comercial, e os horários fora de pico.

Alguns ajustes podem ser feitos para que haja equilíbrio no consumo dessa forma.

Grupos

Existem dois tipos de grupos e cada um deles possui uma tarifação distinta.

O grupo A, composto por consumidores de demanda de média e alta tensão como edifícios comerciais, hospitais, shoppings e indústrias e o grupo B, formado por consumidores de baixa tensão, como pequenas lojas, casas, agências bancárias e pequenos estabelecimentos comerciais.

O Grupo A possui unidades consumidoras de mais de 2.300 volts e, dentro do grupo, há subdivisões de consumo: A1 para tensão de 230kV ou mais; A2 para tensão de 88 a 138kV; A3 para tensão de 69kV; A3a para tensão de 30 a 44kV; A4 para tensão de 2,3 a 25kV e AS para sistema subterrâneo de voltagem.

O Grupo B também possui suas subdivisões: B1 para residenciais de baixa renda; B2 para zonas rurais; B3 para demais residências e B4 para iluminação pública.

As tarifas são diferentes para os dois grupos. No caso do Grupo B, é calculada a partir de kWh consumido. Já a tarifa para o Grupo A é um pouco diferente, porque além do kWh consumido, há o pagamento pela demanda contratada (W), ou seja, se determinado estabelecimento possui uma demanda de 200 kW, essa voltagem necessita ser fornecida ininterruptamente.

Modalidades

A modalidade tarifária é responsável pela forma de cobrança da energia consumida.

Existem duas modalidades, mas apenas os subgrupos A4 e AS podem escolher uma preferência.

Todos os outros dentro do Grupo A permanecem na modalidade azul.

Modalidade Verde

Nessa tarifa, o consumidor contrata uma demanda de potência ativa que vale tanto para os horários de ponta como para os horários comuns.

A distribuidora, nesse caso, taxa apenas o pico de consumo mais alto dos dois períodos de tempo.

Modalidade Azul

Nessa modalidade, o consumidor requisita duas contratações de demanda: uma para cada faixa de horário, ou seja, uma pra horário de ponta e uma pra horário comum.

A cobrança é feita separadamente pelos períodos de energia.

Para adequar todas as necessidades da sua empresa, a análise tarifária passa por todo um processo de diagnóstico e estudo antes de apresentar uma proposta de modificação, que posteriormente será negociada com a empresa de distribuição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA